Coluna Túlio Ribeiro Coluna Túlio Ribeiro



                                         Colunista Túlio Ribeiro



          • Atingimos um milhão de novos casos por dia na pandemia


            A pandemia do covid-19 se mostra mais resiliente  do que se imaginava quando os dados começavam decrescer . Sim, agora o  mundo encabeça um milhão de novos casos COVID diários: Nesta  fase de repetir a ascensão da pandemia, constatamos os casos de coronavírus aumentarem para níveis recordes em meio à rápida disseminação da variante Omicron.

            Colocando como parâmetro de comparação, o número de novos casos diários de COVID-19 em todo o mundo ultrapassou um milhão pela primeira vez desde que as infecções foram registradas pela primeira vez, há dois anos, oficialmente março 2020.

            Esta nova onda é global, alimentada por diversas partes do mundo. As novas infecções nos Estados Unidos atingiram seu nível mais alto já registrado, em grande parte impulsionadas pela variante do coronavírus Omicron, altamente contagiosa .Em outra vertente ,as infecções infantis aumentando nos EUA. Os casos de coronavírus em crianças nos Estados Unidos, especialmente aquelas com menos de cinco anos que não podem ser vacinadas, estão aumentando..

            “Os números mostram um aumento de cerca de 58% em termos de internação infantil em hospitais”, relataram os departamentos  do governo para imprensa capital estadunidense. Na cidade de Nova York, os dados mostram que crianças com menos de 5 anos agora respondem por quase metade do total de novos casos hospitalares.

            Olhando para o outro lado do mundo ,na Oceania, A Austrália também bateu um novo recorde na quinta-feira, ao restringir sua definição de contatos próximos de casos de coronavírus e flexibilizar os requisitos para os testes COVID-19, em uma tentativa de aliviar a pressão nos locais de teste.

            A preocupação cresce quando  a Organização Mundial da Saúde alertou que as variantes Omicron e Delta podem produzir um “tsunami” de casos COVID-19 que colocarão “imensa pressão” nos sistemas de saúde.

            Na América do Norte , especificamente em várias províncias do Canadá relatam novos picos diários de coronavírus. As infecções por estabeleceram novos máximos em um dia em pelo menos quatro províncias canadenses, levando várias governos locais imporem mais restrições na esperança de conter a disseminação da variante omicron.

            Os maiores saltos foram vistos em Ontário e Quebec, que são as províncias mais populosas do país. Quebec notificou 14.188 casos diários, enquanto Ontário teve 13.807. A imprensa local ,relata  que Manitoba e Newfoundland and Labrador também estabeleceram novos recordes. Manitoba relatou 947 novas infecções, que quebraram a alta anterior de 825 estabelecida apenas um dia antes. Enquanto isso, Newfoundland registrou 312 novos casos COVID-19.

            Passando pela Europa, onde a Catalunha instalou o toque de recolher, os pacientes com coronavírus em leitos de hospitais ingleses aumentam quase 10 por cento. O número  de ocupação de leitos  subiu para 11.452, segundo dados oficiais do NHS England, 990 acima do dia anterior. Isto representa aumentou em mais de 4.000 na semana passada, mostram os números.

            Em novo giro pelo mundo, mostra-se que na Turquia chegam a quase 40.000, especificamente  39.681 novos casos de COVID-19, o maior número de infecções diárias desde 28 de abril, conforme o Ministro da Saúde Fahrettin Koca alertou sobre a prevalência crescente da variante Omicron. O número de casos diários dobrou na última semana e Koca disse que a situação exige que as pessoas sejam muito mais cuidadosas do que no passado. A Turquia também registrou 139 mortes como resultado do vírus na quinta-feira, ante 142 no dia anterior.

            A potência russa assumiu  o segundo maior do mundo em vidas perdidas , ultrapassou o Brasil com o segundo maior número de mortos do mundo na pandemia COVID-19, atrás dos Estados Unidos, mostraram dados do serviço estatal de estatísticas da Rússia e cálculos da agência de notícias Reuters. Segundo reporta o serviço de estatísticas, Rosstat, 87.527 pessoas morreram de causas relacionadas ao coronavírus em novembro, tornando-o o mês mais mortal na Rússia desde o início da pandemia.

            O mundo precisa entender, que o enfrentamento dever ter um gestão global, mas que acima de tudo distribua democraticamente os avanços da medicina contra covid-19. Não cabem o raciocínio seletivo de se proteger em guetos. Não há fronteira intransponível para o vírus.  Nações desenvolvidas ou não, devem ter o mesmo tratamento, afinal respiram o mesmo ar da atmosfera.

            *Túlio Ribeiro é economista, pós-graduado em contemporânea,mestre em história social e doutorando em política estratégica.








          Túlio Ribeiro,colunista da RCM 98.7,economista com Pós Graduação em história contemporânea,mestre em historia,doutor em política estratégica.